sábado, 26 de dezembro de 2009

Pai Natal from hell

Ainda que para muitas pessoas o Natal seja uma altura de ir à missa com regularidade (missa das 7h da véspera de Natal, missa do galo, missa da manhã de 25) há outras pessoas que aproveitam o tempo de férias para ficar em casa a ver filmes parvos. E nessa linha de ideias fica a minha apreciação a filmes natalícios – e não, não é um Sozinho em Casa - é mais tentar encontrar os filmes que tiveram a genial ideia de substituir o Santa Claus por um assustador e brutal assassino.

Tipo Gremlins, aquele filme que sai no Natal e que se vai ver em família para se descobrir que a coisinha fofa e peluda se tornou num incendiário pronto a arrancar a cabeça ao ser mais próximo. Parecendo que não, há muita coisa a explorar dentro desta temática de filmes de terror low-budget que decidiram revoltar-se contra a alegria geral da época das prendas e dos doces. Filmes como You better watch out de 1980 que mostra que o trauma de infância de descobrir que o Pai Natal não existe pode ter muitas consequências. Uma delas é tentar determinar pelas próprias mãos quem é ou não um menino bem comportado e acabar por matar violentamente os que não o forem, envergando as vestes de Santa Claus. Outro exemplo é Black Christmas de 1974 que conta a história de um assassino que anda por Montreal a matar pessoas à toa durante a altura do Natal, anunciando-se com chamadas telefónicas obscenas. É considerado o primeiro filme realmente slasher antes do primeiro Halloween de John Carpenter.

To All A Good Night também de 1980 é um filme que prova que a praxe é uma coisa má, como eu sempre defendi! Isto porque uma jovem morta durante um ritual de iniciação acaba por se tornar num espírito assassino sob a forma de Pai Natal que acaba por estragar uma festa de adolescentes. Esta ideia de Pai Natal assassino está também presente em Don’t Open ‘Till Christmas, british exploitation ao seu mais alto nível de estupidez, com gajas nuas que é uma coisa que interessa.. a homens… ou fufas, e portanto uma boa dose de sexismo e representações extremamente manhosas à mistura. Passando para os anos 90, para quem está dentro da cena de cinema de série B canadiano e conhece a Debbie Rochon de certeza que conhece o Santa Claws, o filme no qual o protagonista depois de matar a mulher e o amante que vestia um capuz de Pai Natal quando os encontrou a ter sexo, tornou-se ele próprio o assassíno-Pai Natal obcecado por uma actriz de filmes de terror.

O Silent Night, Deadly Night de 1974 é também um bom exemplo de filme de terror xunga mas só que já tem pouco ou nada a ver com o tema (apesar do título a isso levar). O Jack Frost (de Michael Coony, não o da Disney!!!) um entertaining flick hilariante onde um assassino é morto e o seu corpo juntamente com um ácido (!) fazem com que ele ressurja em forma de homem da neve assassino. O filme tem algumas linhas de diálogo de morrer a rir.
E assim ficam algumas sugestões para arruinar com o espírito amoroso da quadra. Eu quero lembrar os meus leitores que eu não sou efectivamente uma pessoa com disfunções mentais que coloca versos de Álvaro de Campos em balões de manga super-kawaii e links cor-de-rosa só para disfarçar o seu amor verdadeiro por gore B grade! Lol Ou será que...?

9 comentários:

Leinad disse...

"para quem está dentro da cena de cinema de série B canadiano"

Vou começar a utilizar esta frase sempre que discutir cinema com alguem. Sempre! Espectacular!

Btw, o primeiro Chucky acho que tambem se passa no Natal se nao me engano. good stuff.

Sara F. Costa disse...

Lol, Leinad Sim, é suposto ser uma frase com piada (de propósito mesmo) não deixando ainda assim de ser verdadeira...
Agora digamos que enjooei um bocado do tema ao fim de um tempo - como quem enjoa das rabanadas. Mas pronto, sugestões podem sempre completar o apanhado.

LN disse...

nice blog!
gosto da tua foto de perfil.

;)

Sara F. Costa disse...

LN, também te digo desde já que para alguém que manda bitaites sobre as fotos das gajas, tens aí umas reflexões sobre o pós-modernismo e respectivos conflitos semióticos que sim senhora, até te mandava mais umas fotos com chávenas de starbucks e sorrisos marotos para o teu e-mail!

LN disse...

Tenho muita, muita coisa mesmo. Nem imaginas. Limita-te aos excessos. Os «bitaites» são o que quero que sejam, sem deixar entrar.
Já agora, gostas das reflexões?

Sara F. Costa disse...

LN, eu gosto muito das reflexões... mas já agora, porque é que não fazes login pelo teu perfil do blogger?

LN disse...

Está bom assim?
Ainda bem que assim é.
Como neste blog já estamos no amanhã, devo acreditar no 22 do perfil?

Sara F. Costa disse...

Lol, está excelente! Aliás fico bem mais contente por seres o verdadeiro LN. Sabes como é, eu estou sempre à frente... até na linha cronológica e temporal. E os 22 são mais que certos.

LN disse...

:)